Categorias
ULTIMO TEMA

Empreendedorismo social na UBI- Universidade da beira Interior

@caixademitos | 23 de maio de 2020

A convite d@s alun@s da turma do 1º ano do Mestrado em Empreendedorismo e Inovação Social, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade da Beira Interior – Portugal estão a organizar um Webinar, denominado porEMPREENDER SOCIAL UBI: boas práticas de inovação, gestão e avaliação em empreendedorismo social, iremos participar na sessão a distância. O evento tem como proposta a realização de sessões on-line, durante a tarde dos dias 25 e 26 de maio de 2020, aberto ao público nacional e internacional.

“O programa contará com a participação de especialistas de países como Portugal, Brasil e Cabo Verde, ocorrerá através da plataforma Zoom, através de três tipos de sessões:

  1. Painéis de mesa redonda, com 15 minutos de fala e mais 5 de discussão para cada participante, coordenada por um/a moderador/a;
  2. Entrevistas de 15 minutos;
  3. Gravações de casos práticos, de 10 minutos de duração.

Estamos assim, a convidá-lo como profissional de referência na área, que no âmbito do empreendedorismo e inovação social, possa contribuir com informações e experiências, nomeadamente na área de Gestão e Avaliação de Projetos”.

Categorias
Consultoria para o desenvolvimento Oficinas Comércio Vivo Soluções da Caixa

Comércio precisa de reabir com novos horizontes

Caixa de Mitos | 6 de Maio 2020

As circunstâncias actuais do COVID-19  e a reabertura do comércio local suscitam uma reflexão e exigem tomadas de decisão em torno de ideias- força que merecem ser ponderadas pelas associações empresariais e pelos municípios neste momento crítico:
Nós sabemos que os comerciantes vão estar com as suas preocupações focadas nas VENDAS e pretendem recuperar rapidamente o que perderam nestes meses.

Mas na Caixa de Mitos admitimos que seja possível AGIR NUMA DUPLA DINÂMICA: por um lado apoiar na reabertura e por outro intervir na mudança estrutural que importa acelerar no comércio de proximidade.
Com a reabertura do comércio local impõe-se que seja lançada uma iniciativa colectiva do tipo Procom ou Urbcom com um sentido estratégico fundamental: REABRIR COM NOVOS HORIZONTES.

Categorias
PROGRAMAS - PILOTO

Programa TAPAJ apoia jovens da rua

INVESTIR NAS DIVERSAS SOLIDARIEDADES PARA A EMANCIPAÇÃO DE TODOS NÓS!

Programa TAPAJ  Trabalho Alternativo Pago à Jorna

Uma imagem com pessoa, interior, homem

Descrição gerada automaticamente

TAPAJ O QUE É?

O TAPAJ é um programa inovador de inserção social através do trabalho dirigido prioritariamente a jovens dos 16 aos 25 anos que se encontrem em situações muito precárias. É levado à prática através da realização de “serviços profissionais” realizados por jovens que são enquadrados por assistentes sociais ou por outros profissionais, sendo o objetivo central a revalorização pessoal dos jovens e simultaneamente a redução de riscos sociais. Permite que os jovens sejam pagos no final do dia, por uma atividade profissional realizada que não requer nenhuma qualificação ou experiência profissional específica. O compromisso é no dia-a-dia e não se prolonga no tempo. .O TAPAJ fornece uma resposta adaptada a este público, que se encontra muito afastado dos restantes dispositivos de apoio social, tendo em conta os seus problemas sociais, educacionais e de saúde.

CRIAR UM DISPOSITIVO PARA OS SEM-ABRIGO E SEM-TETO

Há semelhança do que foi feito em outros países, Canadá e França (projeto TAPAJ – Travail Alternatif Payé à la Journée), soluções de emprego destinadas a pessoas que vivem em condições muito precárias e não estão prontos para entrar no mercado de trabalho, tanto pessoal quanto profissionalmente.

Criar um dispositivo de inserção específico que permita ao sem-abrigo ou sem-teto, ser pago no final do dia, por uma ocupação que não exija qualificação ou experiência profissional especifica e que não é vinculativo quanto à duração.

A relação laboral (trabalho feito, trabalho pago) será o elemento de mediação da intervenção técnica, dos diferentes serviços, procurando-se intervir em diferentes domínios, habitação, saúde, consumo, autoestima, etc..

E, conciliar esta solução, com uma intensa campanha de responsabilização das entidades empregadoras, comunidade local e dos legisladores, face ao  ABUSO DE VULNERABILIDADE frequente, quando a pessoa se encontra numa situação irregular e não possui nenhuma autorização de residência ou de trabalho;  pertence a um grupo que tem sido discriminado ou que na prática não usufrui de direitos iguais na sociedade; tem conhecimentos limitados e/ou é analfabeta ou não conhece o idioma local.

Conscientes das dificuldades legislativas nacionais para enquadrar fiscalmente atividade laboral de muito curta duração,  trabalho indiferenciado ou alternativo pago à hora, de modo a que sejam garantidos todos os direitos e deveres dos intervenientes neste tipo de relação laboral, será organizada e desenvolvida uma ação de pesquisa-desenvolvimento, para adaptação legislativa às necessidades específicas das atividades laborais inseridas em estratégias  de inclusão social.

Uma imagem com árvore, exterior, planta, rapaz

Descrição gerada automaticamente

Pretendendo-se influenciar a reformulação de aspetos muitos específicos do atual enquadramento legal do trabalho por conta de outrem, aprofundando algumas especificidades já contempladas na legislação sobre o trabalho a domicílio, sobre as empresas de inserção  e sobre o trabalho temporário de forma a garantir plenos direitos aos trabalhadores e simultaneamente contornar as resistências dos empregadores a incorporarem de forma integral os trabalhadores mesmo quando a sua prestação é de muito curta duração.

A ação neste campo em causa implica: auto-organização; envolvimento de especialistas na área jurídica; ações junto dos órgãos de soberania e sindicatos; mobilização dos interessados para uma participação ativa nos processos de conceção e desenvolvimento.

O projeto tem como objetivo geral a inclusão social e comunitária de pessoas  sem-abrigo sem teto, desempregada e (auto)excluída das instituições. 

Pretende-se através do exercício de uma atividade laboral, que o grupo alvo tenha um sentimento de pertença e de utilidade na comunidade, ajudando desta forma a ganhar um sentido para a vida e a melhorar a sua auto estima. 

O trabalho por tarefa que não exige uma rotina de cumprimento de horários durante um longo período de dias, semanas ou meses, o que seria de difícil cumprimento por parte dos participantes. 

Ao mesmo tempo este tipo de trabalho pode ser um treino progressivo para a realização de tarefas mais complexas e exigentes, conforme suas expectativas e ritmo pessoal. 

Este projeto “piloto” visa capacitar o território para se implementar um programa assente na metodologia do Programa TAPAJ (França e Canadá), o qual se tem revelado como uma ferramenta de sucesso para ir ao encontro de populações que se encontram afastadas das Instituições formais de inserção profissional, devido a problemáticas psicológicas e sociais. 

Instalará também uma forte dinâmica de parceria entre as associações locais, Instituições sociais e empresas. 

Através da inserção socioprofissional dos jovens participantes, promover-se-á  o seu poder de agir e reinserção na comunidade. 

A sustentabilidade do projeto será assegurada pela adesão dos empregadores a esta metodologia, bem como pelo envolvimento da comunidade e destinatários, sendo dada continuidade à prática pelas entidades atuantes no território.

Carlos Ribeiro | Caixa de Mitos | 12 de Fevereiro de 2020

Categorias
Media Revistas

AGRI com dossiê INFORURAL foi publicada

A última Revista AGRI Magazine da Série II, a Nº 9, foi editada pela Caixa de Mitos e publicada com um DOSSIÊ ESPECIAL sobre a Iniciativa INFORURAL.

Os temas da Revista são:

  • Despovoamento do meio rural e educação
  • Projetos sobre alimentação saudável
  • ETPZP ensino profissional em meio rural
  • DOSSIÊ Inforural
  • Feira da Diversidade
  • Vindima em Valdujo
  • Permalab na FCUL
  • As aquarelas da Teresa
  • Montemor-o-Novo criativo e solidário
Categorias
Oficinas Comércio Vivo Soluções da Caixa

Iniciativas 2020 para o comércio

As Iniciativas 2020 – Comércio de Proximidade da Caixa de Mitos estão principalmente orientadas para as áreas centrais dos territórios rurais e urbanos, sendo a meta principal o ENVOLVIMENTO DOS COMERCIANTES E RESTANTES EMPRESÁRIOS num conjunto de acções que no essencial visa a adaptação do comércio de proximidade ás novas dinâmicas do turismo sustentável.

Para o efeito são adiantadas as seguintes acções – chave:

Estas iniciativas sendo estudadas e avaliadas pelas entidades locais poderão dar origem a um Plano de Inovação Comercial que procurará integrar a estratégia de Combate às Alterações Climáticas e reforçar a identidade “amiga do ambiente” das localidades em causa.

Categorias
Conferências e seminários Intervenções públicas

Em Tomar, no Centro Qualifica Templários, falámos sobre educação de adultos

Na cerimónia de assinatura do protocolo de cooperação entre o Centro Qualifica Templários e a Associação Nacional dos Topógrafos tivemos oportunidade de partilhar com os presentes algumas ideias – força relacionadas com a forma de promover a educação de adultos nos territórios.

Às referências do que é central para o adulto neste tipo de envolvimento – lidar com processos de educação-formação que se relacionem com as suas experiências e com os seus objectivos de vida – demos destaque aos novos espaços de aprendizagem reforçando a importância dos cenários de co-construção e das abordagens colaborativas aos temas de desenvolvimento e de cidadania activa.

Na sessão esteve presente o vice-presidente da CM de Tomar e o Presidente da Associação Nacional de Topógrafos que usaram da palavra depois da Coordenadora do Centro Qualifica ter apresentado a oferta formativa e de RVCC da instituição local. O Centro tem sede no Agrupamento de Escolas Templários em Tomar e, de forma mais específica, na Escola Secundária Jácome Ratton.

Categorias
Media Revistas

Concluímos mais uma edição da Revista AGRI

A AGRI Magazine foi mais uma vez editada com sucesso pela CaixaMedia depois de um período marcado pelos debates em torno do DLBC – Desenvolvimento Local de Base Comunitária e pelo lançamento do novo estatuto do Jovem Empresário Rural que teve um ponto alto com a realização de um Seminário em Trancoso sobre o tema.

O Dossiê desta edição foi dedicado aos Jovens em meio rural e nessa plano, mais uma vez, o esforço foi de ouvir os mais jovens e as associações que desenvolvem um trabalho eficaz nos territórios e consequentemente realizámos reportagens para o efeito.

O índice da Revista integra ainda iniciativas de parceiros como é o caso da Coolabora que está a dinamizar o projecto EcoVida e o Movimento de Cidadãos por uma Estrela Viva que participou activamente no Cineclima.

Categorias
Conferências e seminários Intervenções públicas

Conferência no lançamento da Rede NEEF em Ponta Delgada

Carlos Ribeiro | Caixa de Mitos | Ponta Delgada 24 de Novembro 2019 | Fotos Carlos Ribeiro e Pedro Gomes (APPJ)

Foi lançada a Rede NEEF numa sessão protocolar realizada na manhã de 22 de Novembro no ISSA – Instituto de Segurança Social dos Açores com a participação das autoridades regionais e as entidades envolvidas na operacionalização da rede e, de tarde, foram apresentados elementos operacionais do futuro funcionamento da estrutura de cooperação que será centralizada no gabinete de empregabilidade sediado na APPJ. Assinatura do protocolo entre direcções regionais da educação, emprego e segurança social e a APPJ, com a presença dos Secretários Regionais da Solidariedade Social e dos Assuntos Parlamentares

A Caixa de Mitos colaborou na sessão da tarde, um encontro de entidades e de técnicos para operacionalizar a Rede NEEF. Intervenção da Cristina Cris Horta e conferência temática de Carlos Ribeiro que abordou o tema das “Abordagens orientadas para o poder de agir e ancoradas em estratégias de desenvolvimento sustentável nos territórios”.

Categorias
Consultoria para o desenvolvimento Soluções da Caixa

PROGRAMAS DIRIGIDOS AOS JOVENS NOS TERRITÓRIOS

Carlos Ribeiro | Caixa de Mitos | Programa Terra Jovem – Açores

Das experiências, vividas ao longo dos últimos anos, relacionadas com a intervenção junto de grupos de jovens em situação de maior vulnerabilidade social e com necessidades de acompanhamento ou de criação de quadros para o seu desenvolvimento podemos recensear abordagens diferenciadas que o Programa Terra Jovem nos Açores, em S. Miguel, tem vindo a aprofundar com uma tripla combinação:

  • abordagem orientada para o desenvolvimento do Poder de Agir dos jovens;
  • territorialização da intervenção articulando as acções com a animação comunitária, o desenvolvimento local e o desenvolvimento sustentável;
  • criação de novos cenários e de novos espaços facilitadores de auto-organização e de aprendizagem em territórios aprendentes.

O DIREITO À ESPERANÇA DOS MAIS JOVENS.

Há zonas da nossa vida em comum sobre as quais é preciso afirmar categoricamente que determinados processos ligados ao desenvolvimento estão errados, porque opostos a um desenvolvimento realmente sustentável. Nesse plano os operadores nos territorios precisam de reformular formas de actuação. Quem melhor que os jovens que estão a ser vítimas de um quadro global de desenvolvimento insustentável para serem os agentes de mudança num sentido mais favorável? Essa lógica de actuação implica: reconhecer o direito à esperança dos mais jovens num futuro melhor e colocar no centro da mudança social, não os seus privilegiados mas antes os que se encontram fragilizados pela marginalização de que têm sido vítimas ao longo dos anos.

INICIATIVAS ECONÓMICAS LOCAIS

Candelária. S. Miguel. Como ligar as iniciativas económicas locais dinamizadas pelos jovens do território com uma estratégia de desenvolvimento sustentável na qual eles passam a ser centrais, ao invés das políticas de inserção social convencionais que os remetem para um papel de meros participantes de respostas sociais pré-definidas?

A COOPERAÇÃO DAS EMPRESAS LOCAIS

Que empresas devemos valorizar? Por mais que sejam grandes e importantes em termos de emprego, nem todas as empresas devem merecer uma valorização das comunidades. Aquelas que favorecem a matéria prima, fornecedores e o emprego locais e que desenvolvem uma estratégia que incorpora no seu desenvolvimento factores económicos mas tambem sociais e ambientais, devem ser assumidas como parte integrante do sistema de governação do território ao mesmo nível que as entidades que exercem funções de interesse público.. A Quintal dos Açores, na Candelária tem exactamente esse perfil…

Categorias
Oficinas Comércio Vivo Soluções da Caixa

Revitalizar e diversificar o comércio de proximidade

Carlos Ribeiro | Caixa de Mitos

Oficina de Informação e Sensibilização: afinal o que podemos fazer juntos pelo comércio local?

Quando se juntam os comerciantes, donos de restaurantes e proprietários de empesas de serviços com sede nas áreas centrais de vila e cidades há muita coisa que acaba por juntar as vontades e abrir horizontes para futuro.

Muitas das situações que são reveladas e comentadas estão cheias de dificuldade e de obstáculos. É natural, o comércio de proximidade está em processo de resistência de há vários anos a esta parte e não chegam palavras de ânimo ou de motivação voluntariosa. São precisas medidas concretas nos estabelecimentos, no espaço público e nas redes de cooperação.

Um primeiro passo acertado: juntar os interessados à volta de uma mesa e dar voz, ouvir e trabalhar para alguns objectivos realistas que podem ser um bom ponto de partida para voos mais altos.

Assim se espera que aconteça com a realização de Oficinas de Informação e Sensibilização que a Caixa de Mitos dinamiza nas áreas centrais para apoiar a revitalização e diversificação do comércio e dos serviços de proximidade.

Oficina de Informação Sensibilização: O que podemos fazer juntos pelo comércio local?